segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Tiragem para o ano - 2013 o ano da Lua


Em uma forma muito ousada de entender como seria o meu ano, em dezembro do ano passado "criei" uma tiragem para o ano todo.

Era um método simples, um arcano maior para todo o ano e um menor para cada mês. Foi muito complicado acompanhar os meses com apenas um arcano menor, mas eu me lembro muito bem qual foi o arcano maior que saiu: A Lua!
Pra mim, a Lua é um dos arcanos mais controversos. Não é declaradamente ruim e nem arregaladamente boa. A lua é um arcano que incomoda por ser perigoso pelo desconhecido e pela rejeição que temos de temer um arcano tão lindo!
Um dos arcanos a trazer uma imagem arquetípica necessariamente feminina e que desembocará na energia ativa e masculina do arcano sol logo em seguida.
E assim foi o meu ano, para quem visse de fora foi um ano que não teve desenvolvimentos grandes ou vitórias que me autorizassem ostentar qualquer coisa, mas os ganhos percebidos por mim mesmo e sutilmente foram grandes.
A confusão mental da Lua veio com tudo, a ambiguidade, os pensamentos divididos e as duvidas com certeza estiveram comigo, mas o contato e desenvolvimento espiritual me ajudaram para que eu não ficasse completamente maluco.
Junto com a Lua vem um passaporte de acesso ao seu interior mais profundo, aqueles que você não teria autorização para ir até ele em outras situações mas com a Lua ele se torna aberto e chamativo.
O meu desenvolvimento espiritual nesse ano foi muito grande, assim como o acesso aos meus guias protetores e as divindades internas.
Novidades apareceram e foram de grande transformação na minha vida mas as conclusões de cada uma delas só puderam vir em 2014 e estão todas devidamente agendadas.
Agora são 23:26 do dia 23/12/2013 e daqui alguns minutos devo saber o arcano regente de 2014. Ousada mas que nesse ano deu muito certo! 
E que venha o novo ano cheio de.... bom, vamos jogar.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

O bom samaritano, Natal e o 6 de Ouros

O Seis de Ouros

Pela ilustração do Tarô de Rider-Waite estamos sempre muito sujeitos firmar o seis de ouros como a carta que me mostra a caridade, bondade, divisão com os pobres. A imagem é muito clara quando mostra o mercador em meio a sua atividade dividindo com quem precisa de caridade.
Sempre é preciso estudar o tarô em seu contexto. E com isso será possível não enxergar apenas esse significado tão engessado da carta. 


O quatro de ouros mostra a avareza e a mesquinharia, o cinco de ouros mostra a continuidade do individuo que não aprendeu a tempo que suas atitudes agoístas não seriam vantajosas e acabou perdendo tudo. Vem a imagem de mendicância, perda e miséria.
O seis de ouros traz a reviravolta, o aprendizado. Aquele que aprendeu com o seu erro e sabe, HOJE, que é preciso ajudar. O indivíduo central não nasceu bonzinho e cheio de benevolência, ele apanhou com seus erros e hoje ajuda aqueles que precisam.
Em uma interpretação particular eu vejo que no quatro de ouros ele está agarrado com seus bens, no cinco de ouros os bens já pertencem a outra instituição e por isso as moedas estão presas aos vitrais mostrando a riqueza da instituição à quem o dinheiro pertence hoje.
Mas no seis de copas ele já entendeu que aquilo que construímos não adianta de nada quando não é divido e servido para o bem. Eu, pessoalmente, interpreto as moedas acima dele pois o valor está na situação, no servir, no crescimento como pessoa e não em posse de qualquer uma das três figuras. Todos ganham.

O Natal

Desde muito cedo recebemos um bombardeio de cobranças nessa época, de que sejamos bons, benevolentes, caridosos e tudo que a mídia junto dos costumes cristãos nos prega. Nessa época as pessoas cobram que se tenha mais sensibilidade com as pessoas e com aqueles que precisam de ajuda. 
O nascimento de alguém tão importante na humanidade certamente desperta alguns sentimentos bons. Mas será que o Natal fala mesmo de bondade e de dedicação ao seu próximo?
A passagem biblica que mais fala sobre dedicação ao próximo não é a do nascimento de Jesus. Jesus, o Messias, nasceu em uma manjedoura em um ambiente simples e precário e recebeu a visita dos três reis magos. Os três reis magos deram a Jesus algo que era realmente caro na época e que lhes custou muito dinheiro, certamente, mas não representava uma ajuda de fato. Os três reis magos fizeram como aquele tio rico que dá o presente mais caro e menos interessante.
Caso nesse Natal qualquer um queira, de fato, se espelhar num exemplo de bondade devem ser Bons Samaritanos, que deixam o seu caminho do trabalho, tiram realmente de seu bolso para ajudar alguém que realmente precisa.

Diferente dos Reis Magos, o Bom Samaritano ajudou alguém que não seria famoso, diretamente ligado a Deus, nem o Messias. O bom samritano ajudou um anônimo, quase morto a beira da estrada e que ninguém saberia que o teria feito. Quando queremos realmente fazer algo de bom, fazemos por nós e para nós. Ninguém precisa saber e as vezes nem mesmo o ajudado.
A paz que a caridade traz é maior do que qualquer massagem de ego. Que nesse Natal e que em todo o ano você seja caridoso e feliz por ajudar e não por se julgar mais pertinho do céu.
Um abraço,


quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Pajem de Ouros - A busca e a evolução.


O Pajem é jovem e usa a sua sabedoria para a busca da técnica e do empreendimento. O conhecimento vem até ele por meio de seu esforço e busca. Dia 01 de dezembro darei uma palestra no stand do Nei Niaff na Mystic Fair e estou me preparando muito pra isso.
Apresentar um tema como Atendimento Online é uma grande responsabilidade e traz um desafio enorme pra mim como profissional e como estudante.
Nessa busca eu vou continando fazendo minhas pesquisas e tentando concluir com louvor e honestidade esse trabalho a que foi me designado.
Peço a Deus, aos Orixás e aos guias de todo o universo que me ajude, trazendo essa sabedoria e força pra dentro da minha cabeça e me ajude no foco, o que é um grande desafio pra mim como pessoa!
Trabálho árduo, pesquisa e renovação!



O que você deixa pra trás na volta?

Não tivemos como descrever a experiência que tivemos. Cada segundo, cada carinho, cada ensinamento foi maravilhoso.
Passamos um fim de semana que por mais que passássemos horas tentando explicar não ficaria claro quanto saímos felizes.
Hospitalidade, educação, felicidade, respeito, fé!
O esperamos ter deixado pra trás foi a gratidão, pois o que trouxemos pra cá foi a saudade!
Uma boa semana a todos nós!

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Olhando para frente: Três de Paus


Só anda quem olha para frente!
Não interessa onde você quer chegar o quão longe é seu destino.
Por mais que ele seja distante o suficiente para estar além das montanhas, mas ele está à frente.
E não é à frente de seus problemas, de seu namorado ou de seus pais.
Ele está ali: disposto e prostrado a seu norte, para ser aproveitado, explorado e firmado por você.

É andando pra frente que se cresce!
Se expande....
A cada passo a frente você expande metros cúbicos de mente, pensamentos, espírito e alma.
À sua frente está os passos que ainda não chegaram, mas já são esperados e já existem desde que você os idealizou.

O caminho está trilhado, não por que alguém já passou por ali, por que seu caminho é único.
O caminhos está pisoteado por cada passo que você planejou, cada oração sua e de seus entes.
E quando não houve ninguém para orar por você, você estava à frente.

Mas não queira terminar a caminhada sem amassar toda a terra necessária.
O caminho é seu, assim como a responsabilidade de mantê-lo firme.

Caminhe!